Apoio psicológico aos profissionais que estão na linha de frente do combate ao coronavírus


Em abril deste ano, a Associação Paulista de Medicina realizou uma pesquisa com 2.312 médicos de todo o país. Tal pesquisa mostrou que a percepção de 86,6% dos médicos consultados é de que seus colegas estão apreensivos, deprimidos, pessimistas, insatisfeitos e revoltados.

O enfrentamento à pandemia de Covid-19 está comprometendo a saúde mental dos profissionais da área da saúde que sofrem com jornadas de trabalho exaustivas, maior exposição ao vírus, medo de contrair a doença e contaminar os familiares e o alto número de mortes entre eles.

Com o objetivo de oferecer suporte emocional para quem está na linha de frente, alguns serviços de apoio psicológico por teleatendimento estão sendo disponibilizados em todo o país.

O projeto TelePSI, desenvolvido pelo Ministério da Saúde e pelo Hospital de Clínicas de Porto Alegre (HCPA), prestará serviços de teleconsulta psicológica por meio de uma central de atendimento que funcionará de segunda a sexta-feira, das 8h às 20h, pelo telefone 0800 644 6543 (opção 4). A primeira ligação é para cadastro e avaliação.

A iniciativa é um reconhecimento da necessidade de apoio a esses profissionais que, pelo trabalho intenso, com risco de contaminação elevado e condições adversas, podem desenvolver quadros de ansiedade, depressão, irritabilidade, transtornos de estresse agudo, entre outros problemas. O projeto deve funcionar até setembro e conta com um investimento federal de R$ 2,3 milhões.

O Todos pela Saúde, projeto do Itaú Unibanco para apoiar o combate ao novo coronavírus no Brasil, está disponibilizando um serviço de teleatendimento psicológico aos profissionais da saúde que estão trabalhando na linha de frente. O serviço é gratuito, funciona 24 horas por dia e é totalmente sigiloso. O número desse teleatendimento é 0800 999 8896.


Fontes: Ministério da Saúde, Associação Paulista de Medicina e Todos Pela Saúde

14 visualizações